Cuidado com o que você lê!

Posted Posted by Daniela Sousa in Comments 10 comentários



Estava certo dia num supermercado e dei de cara com um livro com o seguinte título - Meu filho só come o que não presta: guia da alimentação infantil saudável. O livro é da autora Branca Sister (2007). O título pareceu interessante então resolvi comprar. Confesso que houve tamanha ansiedade pela leitura, pois o livro estava lacrado e não pude fazer aquela previa folheada. Enfim, cheguei em casa e pude ler... Foi uma leitura breve e decepcionante. Comentarei aqui alguns dos absurdos que pude constatar naquele livro. 
Vamos lá!

Branca Sister, a autora do citado livro, é formada em Administração de empresas com especialização em psicopedagogia e começou redigindo seu texto, justamente, falando "Não, não sou nutricionista... Sou apaixonada pela gastronomia."
Fiquei me perguntando o que uma psicopedagoga poderia falar sobre alimentação infantil. Confesso que a autora foi felicíssima no primeiro capítulo e mostrou que sabia do que estava falando como a imposição de regras à crianças no horário das refeições, porém nem tudo estava perfeito e no segundo capítulo ela esquece da sua fala inicial: "Não, não sou nutricionista...." e resolveu incorporar uma pseudonutricionista. Sabemos que estamos rodeados por pessoas que acham que entendem a Nutrição, no entanto, os profissionais nutricionistas não podem calar-se diante deste fato. Mas voltemos à Branca Sister:

No segundo capítulo do livro a psicopedagoga resolve fazer sugestões de dieta balanceada que, se não entendi mal, tinha objetivo de prevenir a obesidade infantil. Não transcreverei a dieta completa aqui, pois ficaria um texto extenso, mas vale a pena ressaltar os mais excêntricos. O que foi transcrito do livro estará sempre destacado para que você leitor possa compreender melhor ao que foi dito pela autora.

CAFÉ DA MANHÃ
1 xícara de leite desnatado
1 colher de achocolatado em pó
1 fatia de pão de forma ligth
1 fatia de queijo amarelo

LANCHE DA TARDE
1 iogurte de frutas 
1 copo de limonada + 1 fatia de pão ligth + 1 colher de sobremesa de requeijão ligth.
Esse cardápio é uma sugestão que não precisa ser seguida à risca. Os alimentos podem ser substituídos por outros...

SUBSTITUIÇÃO DE ALIMENTOS

LEITES E DERIVADOS
1 copo de leite desnatado
1 iogurte natural
1 iogurte diet com frutas 
2 colheres de sopa de leite em pó diet
1 fatia fina de queijo amarelo
1 fatia média de queijo-de-minas
1 fatia de ricota
1 colher de sobremesa de requeijão ligth.

Depois, Branca ainda dá dicas na hora de fazer compras:
- opte sempre pelo pão ligth ou diet. Eles tem menos calorias do que os pães comuns;
- outra boa escolha são os queijos ligth e diet, por causa da baixa taxa de gordura e menor quantidade de calorias.

A questão é..., o que esses diet e ligth estão fazendo nesta dieta? A dieta não era uma forma de prevenir a obesidade infantil? Por que não os integrais que auxiliariam melhor nesta função?
O que  talvez a Branca não saiba  é que os alimentos diet são produtos que apresentam ausência ou quantidade reduzida de determinados nutrientes  como glúten, açúcar, sódio, entre outros e são destinados a indivíduos que devem seguir uma dieta com restrições nutricionais específicas como no caso dos diabéticos, celíacos que precisam de alimentos especialmente formulados. É comum associar produtos diet à baixa caloria, mas esses podem apresentar um teor energético maior que os convencionais. Com isto, conclui-se que os diet não tem boas funções na perda ou prevenção de peso. Os ligth são produtos com valor energético  reduzido que ajudam na perda do peso. Porém, é importante ressaltar que o consumo excessivo desses produtos pode encadear a ingestão de uma quantidade igual ou até maior de calorias, comparadas ao consumo moderado de algo não ligth. 

A dieta infantil, em casos não específicos, pode ser elaborada sem os diet e ligth, mas não era de se esperar algo diferente do que encontramos no livro, já que é de fácil entendimento que um administrador, psicopedagogo não tenha compreensão necessária do alimento para elaborar (seja apenas sugestões) dietas.
Não tenho nada contra sugestões e dicas desde que não haja riscos à saúde. Elaborar dietas como sugestões e transcrever em um livro pode tornar-se um problema, pois o público, geralmente leigo, acaba seguindo essas dietas e que pode não ser adequada a seu organismo. Em se tratando de crianças consigo enxegar um problema  maior.  Também, deixo claro que não estou levando em consideração quantidades ou qualquer aspectos sobre os nutrientes, nem o quão leigo pode ser uma pessoa com a nutrição, apenas tenho o objetivo de apresentar situações rotineiras que se não evitadas a sociedade poderá pagar por esses indivíduos.

A autora usa a última parte do livro para elucidar dúvidas e dar dicas com questões do tipo:
1) É melhor usar mel, açúcar mascavo ou açúcar branco para a criança?
Resp.: Na realidade, não existe grande diferença... 

O livro é destinado à população em geral e a idade da criança não foi citada, então pode ser entendido que crianças com menos de 1 ano estão no grupo dessas crianças citadas. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) recomenda que crianças com menos de 1 ano não consumam mel devido a possíveis constatações da presença do patógeno de esporos da bactéria Clostridium botulinum, microrganismo responsável pelo botlismo, doença que atinge nervos e músculos e, embora seja rara, é grave. Essas recomendações à crianças menores de 1 ano deve-se ao fato de este grupo não possuir um sistema imune maduro contra essas bactérias patogênicas. Esta não seria uma grande diferença?

SUCOS - tem enorme valor nutritivo, mas, como contém muitas calorias, só devem ser dados a crianças que necessitem desses nutrientes.

Observação bem caótica! Mas todos os sucos contêm muitas calorias? Até uma criança sabe que sucos naturais contribuem para a saúde, sendo extremamente benéficos a adultos e crianças. São fontes de fibras alimentares, principalmente, quando preparamos com casca e não são coados. Sucos de vegetais contêm baixas calorias e são praticamente sem gorduras. Os sucos industrializados, sim, são ricos em calorias e contêm conservantes e corantes que podem causar alergias e estes não são recomendados. 

Ficam aqui meus breves comentários e como todo velho e bom final deixo uma dica: leia muito, ler é, sem dúvida, a base do conhecimento e se tiverem a oportunidade de ler o livro da Branca Sister é uma ótima idéia, assim você poderá explorar um pouco mais do que não foi comentado aqui, porém cuidado, não acredite em tudo que você ler. É sempre bom questionar.

Abraços!





FONTE: ANVISA
              http://revistacrescer.globo.com
              http://guiadobebe.uol.com.br
              http://www.abccam.com.br



10 comentários:

Islene Teles disse...

Ta aí, interessante o que você colocou. Vou prestar mais atenção nas coisa que leio. Valeu e ótimo final de semana, tá?

Curso de Nutrição - UFAC disse...

Fiquei indignada com o que você descreveu, mas o que você falou realmente tem embasamento as pessoas lêem algumas curiosidades e já ficam repassando informações, sem ter um mínimo de respeito para com os profissionais que realmente entendem do assunto. Quando utilizem a expressão pseudonutricionistas foi para falar sobre as acadêmicas do curso que ainda estão no comecinhoo, mas você utilizou a expressão em um contexto que caberia muito mais! Parabéns!

Aline disse...

Meu professor sempre falava que os livros nem sepre tem razão. Tá ai uma prova.
É de lamentar.

Luciana Kotaka disse...

Fico pensando em como se lança o livro de alguém que não é especialista da área? Isso afronta a nossas profissões, pois tem pseudos em todas as areas, e está na hora das editoras serem mais criteriosas, e verificar o conteúdo que publicam. Um beijo

Daniela Sousa disse...

Tá ai uma verdade que não pode ser oculta, Lu. Mas como as editoras só querem ganhar consequentemente não se preocuparão com isso, até pq o título do livro como disse é bem sugestivo. Mas cabe nós profissionais (de nossas áreas) tentar eliminar (não se calando).

Karlla Queiroz disse...

Ela é doente! =) kkkk
como vai escrever sobre alimentação para crianças sem conhecimento! Aff, hoje em dia tem cada uma, tbm é fácil demais, hoje me dia qualquer um escreve um livro, o que não faltam são editoras querendo ganhar dinheirinho fácil!

Batalhadora disse...

Oi,Dani!Nesse mundo de hj que não é tão difícil publicar um livro todo mundo banca guru, diz que sabe tudo de tudo e dá nisso.
u tenho muito cuidado com o que leio, sempre vou dar uma pesquisada na net para ver se realmente vou gostar do que vou ler, porque gente pra dizer meia dúzia de abobrinhas por ai tá cheio.
Um ótimo domingo!
Beijoss

Karina Rigo disse...

Olá Daniela, obrigada por visitar meu blog, gostei muito do seu também! Realmente este post está incrível! Existem muitos PSEUDOprofissionais por este mundo, em todas as profissões, mas na nutrição ainda mais. Infelizmente, o livro tem uma ótima abordagem, começando do título, mas o conteúdo engana, principalmente pais que não tem tanto conhecimento sobre alimentação saudável... Está de parabéns pelo blog... vou seguir vcs tb... abraços!

Luciana Kotaka disse...

Oi Dani, que sua semana seja ótima, e que seu blog continue assim, istrutivo e interessante. Bjs

Nylda disse...

Nossa, é assustador! Profissionais de outras areas querendo passar dieta. Quem deve prescrever a dieta é um nutricionista que esta habilitado para fazer isso, ele está capacitado para atuar visando à segurança e a saúde do paciente.

Postar um comentário

Obrigado pela colaboração!