31 de agosto: dia do nutricionista

Posted Posted by Adriele Melo in Comments 3 comentários




Predomina-se no imaginário coletivo a idéia errônea de que o nutricionista tem apenas o papel de prescrever dietas, sobretudo, para pessoas que estão acima do peso. Entretanto, muito além desse estereótipo, o profissional está presente em diversas iniciativas nas quais buscam a promoção e prevenção de inúmeras doenças, além de contribuírem na qualidade de vida e na segurança alimentar dos indivíduos/pacientes.

Enfim, o nutricionista exerce um papel fundamental na vida em sociedade, utilizando-se da Ciência Nutricional para interpretar fatores culturais, biológicos, sociais e políticos, com vistas a melhorar a alimentação, bem como a saúde e a qualidade de vida das pessoas, em todas as fases da vida.

Hoje, 31 de agosto, comemora-se o dia do nutricionista; data escolhida em virtude ao simbolismo da criação da então Associação Brasileira de Nutricionistas (ABN - atual ASBRAN), na mesma data, no ano de 1949.

Ultimamente, a profissão tem tido uma expansão significativa; sendo assim, o nutricionista pode atuar em diversas áreas e setores, como na Nutrição Clínica (Hospitais, Clínicas, Ambulatórios, Personal Diet, SPA’s, Bancos de Leite...); Alimentação Coletiva (Restaurantes comercias, Hotelaria, Serviços de Buffet, Alimentação Escolar...); Saúde Coletiva (Políticas e programas institucionais, Vigilância Sanitária...); Docência (Graduação, Pós-Graduação, Extensão; Pesquisa...); Nutrição Esportiva (Academias, Clubes esportivos...); Marketing na área de Alimentação e Nutrição (Atividades de marketing e Publicidade Científica); Indústria de Alimentos (desenvolvimentos de novos produtos, serviços de atendimento ao consumidor...).

Nutrição é Vida! E o que ela representa na vida das pessoas?

Segue alguns comentários feitos por estudantes de Nutrição da UFRB - CCS de qual o significado da nutrição em sua vida.

"Nunca imaginei que um dia estaria cursando nutrição. Assim como nunca imaginei que fosse gostar tanto! É maravilhoso ver a cada dia o quanto a nutrição faz parte da nossa vida. Quanto mais estudo mais vejo como a vida está relacionada totalmente à nutrição. Espero continuar assim apaixonada pela minha futura profissão".
(Larisa Janusic - 3º semestre)

"O ato de nutrir é o caminho mais estreito para alcançar o pleno estado de bem estar e vislumbramos na nutrição a ciência que norteia esses passos."
(Ademir Barreto - 8º semestre)

"Estudar nutrição é maravilhoso, mas como toda área de saúde é complicado. É um curso que aprendi a gostar neste 3º semestre e pude perceber o quão é interessante e importante conhecer o corpo humano. Ao contrário do que muitos pensam, ser nutricionista não é só prescrever dietas, conhecer de alimentos, mas, principalmente, saber compreender a necessidade do outro."
(Itanara de Oliveira - 3º semestre)

Assim, é por meio deste blog que deixamos nossa sincera homenagem aos profissionais que usam seu conhecimento para auiliar na alimentação e saúde humana.

Parabéns Nutricionista!

SINUR 2010

Posted Posted by Daniela Sousa in , Comments 0 comentários

       
Nos próximos dias 24 e 25 de setembro de 2010 será realizado em Santo Antônio de Jesus - BA o Iº SIMPÓSIO DE NUTRIÇÃO DO RECÔNCAVO por estudantes de Nutrição da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB.  As inscrições estão sendo realizadas de 26 de agosto de 2010 a 24 de setembro de 2010 no Centro de Ciências da Saúde - CCS e na página do CENTRAL NUTRI onde, também, podem ser encontradas informações sobre apresentação de trabalhos, bem como outras informações sobre o evento. A taxa de inscrição é de R$ 40,00 reais. Com certeza essa é mais uma oportunidade de adquirir conhecimentos que os Estudantes de Nutrição da UFRB oferecem para o público e vale a pena participar.




Balut: você encara?

Posted Posted by Daniela Sousa in Comments 18 comentários




Já ouvi falar em vários pratos estranhos originados, principalmente, do oriente, como espetinho de escorpião e de tanajura, mas o Balut, em minha concepção, ganha o título de mais exótico. Lendo algumas informações não pude conter o abismo. São ovos de pato ou galinha com o embrião em desenvolvimento.

É considerado uma deliciosa gastronomia asiática, chinesa, camboja, Vietname e nas Filipinas. Essa iguaria possui alto conteúdo protéico. As preferências variam conforme o país. Há locais em que se prefere comer aquele balut com o embrião de 17 dias e outros locais como no Vietnã é preferível os de 19 a 21 dias, quando há formação de ossos moles.

Acredita-se ser um prato afrodisíaco e bem saudável. O ovo é cozido e comido com uma pitada de sal, geralmente, acompanhado pela famosa cerveja. Há quem prefira comer com pimenta e vinagre. Antes de retirar de comer  a carne quebra-se um pedaço pequeno da casca para sugar o caldo e depois come o restante do ovo.

Nós brasileiros, não ficamos de fora, pois o balut também é servido aqui no Brasil como aperitivo, em restaurantes, de  várias formas: cozido, frito ou como recheio de lanches. Pessoas que experimentam costumam achar o gosto melhor do que o que se espera.

Com certeza,  essas pessoas tem ótimas razões, ou não, para degustar esse tipo de prato. Tudo é questão de cultura.  E você, encararia?


O vilão da alimentação

Posted Posted by Daniela Sousa in , Comments 8 comentários




08 de agosto (em 2002) foi instituído, pelo Governo Federal, Dia Nacional de Controle ao Colesterol e, é tida como a data destaque no calendário da Saúde, já que as doenças do coração, seguidas do CA (câncer) são as duas maiores causas de morte natural em nosso país. Sendo assim, esse dia é também um convite às mudanças de hábitos e práticas alimentares e de exercícios físicos, já que são capazes de manter as taxas da lipoproteína HDL, popularmente conhecidas por "colesterol bom" e a LDL, o "colesterol ruim" equilibradas.

É notório que o colesterol é visto vilão da alimentação, porém é importante frisar que ele em si não é um agravante ao comprometimento da saúde; é, por exemplo, a substância na qual promove a produção de hormônios. 70% do colesterol são produzidos pelo organismo, no fígado, sendo apenas 30% advindos da alimentação. E é aí onde está o grande problema: a quantidade exagerada em que consumimos o colesterol através de alimentos gordurosos.
Segue uma lista de alguns alimentos capazes de promover o equilíbrio do colesterol alto: aveia, nozes, castanhas, laranja, peixes, linhaça, azeite, vinho, chás, soja, açaí, chocolate amargo, canela. (Corpo e Saúde, 2010)

Há de se convir que as pessoas as quais tenham predisposição genética devem procurar manter hábitos de vida saudáveis, evitando o fumo, controlando o colesterol e a pressão. Somando-se a esses esforços, o paciente deve seguir uma dieta saudável, com o acompanhamento do profissional devido, para alcançar e manter o peso ideal e reduzir a taxa de colesterol. 

PS: Esse texto tem como autoria: Adriele Melo. Devido alguns problemas em sua conta, não foi possível postar com a assinatura da mesma. =]








Derivados da modernização

Posted Posted by Daniela Sousa in , Comments 8 comentários



O modernismo tenta proporcionar à sociedade um maior conforto de vida e cremos que este objetivo tem tido sucesso. Somos beneficiados com equipamentos cada vez mais modernos que parece ajudar muito numa época em que se relaciona tempo a dinheiro. A exemplo, temos o carro que permite a ida ao trabalho, escola ou outros locais que precisamos ir de forma rápida. Os elevadores que além da agilidade, evita a tão indesejada subida de cada degrau da escada, assim não precisamos chegar àquele último degrau com tanto esforço. Com a virtualização é possível ir a vários locais sem sair do conforto daquela cadeira que fica em frente ao monitor. Pagamos contas, compramos, estudamos, enfim, dá pra fazer quase tudo num computador sem nenhum esforço físico. Ah! Não esqueçamos da TV, nosso meio de lazer, e o telefone como meio de comunicação. No entanto, esse público que acredita ser tão beneficiado com essa modernidade torna-se vítima duma afecção estreitamente relacionada a esse estilo de vida: a obesidade.

Uma época propícia a maus hábitos, onde não se pratica atividades físicas, nem sequer descascamos uma laranja, porque os supermercados as vendem descascadas e cortadas no ponto de pôr na boca e engolir, não é de se espantar o excesso de peso.

Em casa o papel da televisão é aumentar as atividades sedentárias. A falta de tempo exige uma busca pela alimentação fácil, rápida e pronta, porém, bem mais calórica. As horas destinadas aos computadores acrescida de uma má e abundante alimentação não queimam tantas calorias e logo acontece o acúmulo excessivo de tecido adiposo no organismo com potencial prejuízo à saúde. O tecido adiposo é constituído por adipócitos que tem capacidade de armazenar gordura em grande quantidade.
Os pais já não levam seus filhos a um passeio na praça para brincar nos parquinhos, andar de bicicleta ou patins, em contraste, estas práticas são substituídas por videogames, aumentando a ausência de movimentos e, consequentemente, o índice da obesidade.

A obesidade é um problema nutricional que vem aumentando, dramaticamente, no século atual, em todas as idades. Seu problema torna-se mais preocupante por possuir riscos de desenvolvimento das doenças crônicas degenerativas.

Já ouvir dizer que o estresse também é um fator causador dessa moléstia. Se for verdade, então está aí mais uma explicação para os carros contribuírem e muito para esse problema de saúde pública, é bom lembrar, pois o trânsito e seus imensos engarrafamentos causam, sem dúvida, grande estresse.

A consequência é que pessoas obesas, geralmente, são rejeitadas pelo grupo e sofrem com os adjetivos de "gordinho", "baleia"... Dessocializados, as vítimas acabam buscando métodos ansiolíticos para minimizar o sofrimento como a anorexia e a bulimia, dois transtornos alimentares de caráter gravíssimo. 

Iniciar um processo de perda de peso não é fácil, ainda mais numa sociedade tão sedentária. Por isso é preciso ter cuidado não apenas com o comportamento alimentar, mas com  o comportamento cotidiano decorrente dos confortos desse novo estilo de vida. Espero que estas informações sejam úteis para conter com o avanço desta doença.

Interação nutricionista-paciente

Posted Posted by Daniela Sousa in Comments 7 comentários



Estabelecer uma dieta considerada saudável pela Ciência Nutricional é uma tarefa complexa delegada aos profissionais, visto que cada indivíduo é marcado por um caráter emblemático de práticas e hábitos alimentares, que são construídos num contexto social em que vivem. Cada ser é educado de acordo com sua cultura. Uma vez esses valores apreendidos, não é fácil mudá-los. Dessa forma, privar ou prescrever uma dieta não deve ser um ato pronto, embora seja este um fato comum em alguns consultórios, em que a maior preocupação é com "o que é saudável". Há casos em que pessoas saem do consultório com um papel em mãos repleto de recomendações alimentares, sem singularidade. Lembro-me de uma amiga relatar ter ido ao nutricionista com seus dois irmãos e os três saíram com a mesma dieta. Convêm ressaltar que são três pessoas com idades, sexo, problemas e, consequentemente, organismos distintos. Absurdo, não? Evitemos conclusões precipitadas. Não estou aqui dizendo que os nutricionistas são sempre despreocupados com seu paciente, e sabemos que existem ótimos profissionais que fazem jus ao juramento, mas, infelizmente, sempre existe a ovelha negra que suja o nome da família, seja entre médicos, advogados ou outras áreas de atuação.
Conseguir um papel que te indique o que é saudável comer é muito fácil, basta digitar no Google e aparecerão várias opções. O que o Google não faz é elaborar uma dieta a partir do saber do outro, considerando os aspectos biológicos, econômicos e socioculturais. Isto cabe ao profissional da nutrição.

A interação nutricionista-paciente é um processo que exige uma compreensão antropológica. Como dizer que será necessário eliminar o churrasco da dieta de um gaúcho ou o acarajé de um baiano? Dividi cada prato referindo sua região característica para demonstrar que os hábitos alimentares vão além do sabor agradável de cada guloseima, mas, principalmente, do simbolismo que o constitui. 
Canesqui destaca que os adultos já socializados, dentro de certos padrões, vivem em uma situação conflituosa entre o comer aquilo que é apreciado em nossa cultura (feijoada, costela, linguiça, quindins, tortas, cervejas) e aquilo que é entendido como saudável.

Suprimir é tão complicado quanto inserir um modelo alimentar. Esta complexidade se agrava quando as questões passam pelo poder aquisitivo. Pessoas carentes tem de limitar, quantitativamente e qualitativamente, sua cesta em produtos classificados básicos. Como explicar a importância de certos alimentos ou quantas refeições diárias são necessárias quando não se tem recursos financeiros? A resposta a essas questões talvez nos leve ao entendimento de que nutricionistas parem de impor o predomínio da razão e se preocupem em entender cada pessoa como um homem singular, dentro de um processo social específico.