Derivados da modernização

Posted Posted by Daniela Sousa in , Comments 8 comentários



O modernismo tenta proporcionar à sociedade um maior conforto de vida e cremos que este objetivo tem tido sucesso. Somos beneficiados com equipamentos cada vez mais modernos que parece ajudar muito numa época em que se relaciona tempo a dinheiro. A exemplo, temos o carro que permite a ida ao trabalho, escola ou outros locais que precisamos ir de forma rápida. Os elevadores que além da agilidade, evita a tão indesejada subida de cada degrau da escada, assim não precisamos chegar àquele último degrau com tanto esforço. Com a virtualização é possível ir a vários locais sem sair do conforto daquela cadeira que fica em frente ao monitor. Pagamos contas, compramos, estudamos, enfim, dá pra fazer quase tudo num computador sem nenhum esforço físico. Ah! Não esqueçamos da TV, nosso meio de lazer, e o telefone como meio de comunicação. No entanto, esse público que acredita ser tão beneficiado com essa modernidade torna-se vítima duma afecção estreitamente relacionada a esse estilo de vida: a obesidade.

Uma época propícia a maus hábitos, onde não se pratica atividades físicas, nem sequer descascamos uma laranja, porque os supermercados as vendem descascadas e cortadas no ponto de pôr na boca e engolir, não é de se espantar o excesso de peso.

Em casa o papel da televisão é aumentar as atividades sedentárias. A falta de tempo exige uma busca pela alimentação fácil, rápida e pronta, porém, bem mais calórica. As horas destinadas aos computadores acrescida de uma má e abundante alimentação não queimam tantas calorias e logo acontece o acúmulo excessivo de tecido adiposo no organismo com potencial prejuízo à saúde. O tecido adiposo é constituído por adipócitos que tem capacidade de armazenar gordura em grande quantidade.
Os pais já não levam seus filhos a um passeio na praça para brincar nos parquinhos, andar de bicicleta ou patins, em contraste, estas práticas são substituídas por videogames, aumentando a ausência de movimentos e, consequentemente, o índice da obesidade.

A obesidade é um problema nutricional que vem aumentando, dramaticamente, no século atual, em todas as idades. Seu problema torna-se mais preocupante por possuir riscos de desenvolvimento das doenças crônicas degenerativas.

Já ouvir dizer que o estresse também é um fator causador dessa moléstia. Se for verdade, então está aí mais uma explicação para os carros contribuírem e muito para esse problema de saúde pública, é bom lembrar, pois o trânsito e seus imensos engarrafamentos causam, sem dúvida, grande estresse.

A consequência é que pessoas obesas, geralmente, são rejeitadas pelo grupo e sofrem com os adjetivos de "gordinho", "baleia"... Dessocializados, as vítimas acabam buscando métodos ansiolíticos para minimizar o sofrimento como a anorexia e a bulimia, dois transtornos alimentares de caráter gravíssimo. 

Iniciar um processo de perda de peso não é fácil, ainda mais numa sociedade tão sedentária. Por isso é preciso ter cuidado não apenas com o comportamento alimentar, mas com  o comportamento cotidiano decorrente dos confortos desse novo estilo de vida. Espero que estas informações sejam úteis para conter com o avanço desta doença.

8 comentários:

Aline disse...

A sociedade tem sofrido mesmo com o excesso de peso, mas de quem é a culpa? Será que não são eles mesmos que não praticam atividade física e comem muito? Por que eles não se cuidam? Não digo por questão de estética, para não serem apelidados com esses adjetivos sem criatividade, mas por questão de saúde.

Daniela Sousa disse...

Olá, Aline. Não sei te responder se as pessoas obesas são culpadas ou vítimas, mas acho que elas são vítimas sim, pois quem deixaria de ir ao 5º andar num elevador para subir escadas, porém elas não criaram os elevadores, apenas faz uso pela sua agilidade. Sem falar nas pessoas que tem disfunções metabólicas. A sociedade exige, cada vez mais, tempo. Seja no trabalho, em casa, na faculdade e por isso somos obrigados a utilizar alguns métodos que acabam não sendo tão saudáveis.

Luciana Kotaka disse...

Oi Dani, ótimo seu espaço, adorei a materia e concordo contigo em sua opinião sobre a obesidade. Estou te seguindo. Bjks

Daniela Sousa disse...

Obrigada, Luciana. Seja bem vinda e volte sempre.
=]

Gilberto disse...

O pior é que você está certissíma, Daniela.
E a tendência é que as coisas piorem ainda mais. Precisamos muito ter cuidado com a saúde e com nosso estilo de vida.
Mais uma vez, Parabéns. Seu blog é muito bom.

Islene Teles disse...

Olá, Dani! Obrigada pelo carinho. Seu blog tem dicas muito legais e saúde é tudo. Vou segui-la com certeza. Bjinhos

Markinhow disse...

Dani,
Primeira vez que visito o blog e já fiquei
tentado a voltar mais vezes.
Muito BOM, Parabéns!!
Sinto esse sedentarismo no meu cotidiano, pois
trabalho muito tempo sentado e em frente ao computador.
Grande Beijo.

Daniela Sousa disse...

Obrigada e seja bem vindo, Markinhow.
Como você trabalha muito tempo sentado é bom procurar fazer alguma atividade física. Ahh, e fica outra dica: uma ginástica laboral, p evitar doenças do trabalho repetitivo, já que trabalho muito tempo ao computador.
Abraços!

Postar um comentário

Obrigado pela colaboração!