Interação nutricionista-paciente

Posted Posted by Daniela Sousa in Comments 7 comentários



Estabelecer uma dieta considerada saudável pela Ciência Nutricional é uma tarefa complexa delegada aos profissionais, visto que cada indivíduo é marcado por um caráter emblemático de práticas e hábitos alimentares, que são construídos num contexto social em que vivem. Cada ser é educado de acordo com sua cultura. Uma vez esses valores apreendidos, não é fácil mudá-los. Dessa forma, privar ou prescrever uma dieta não deve ser um ato pronto, embora seja este um fato comum em alguns consultórios, em que a maior preocupação é com "o que é saudável". Há casos em que pessoas saem do consultório com um papel em mãos repleto de recomendações alimentares, sem singularidade. Lembro-me de uma amiga relatar ter ido ao nutricionista com seus dois irmãos e os três saíram com a mesma dieta. Convêm ressaltar que são três pessoas com idades, sexo, problemas e, consequentemente, organismos distintos. Absurdo, não? Evitemos conclusões precipitadas. Não estou aqui dizendo que os nutricionistas são sempre despreocupados com seu paciente, e sabemos que existem ótimos profissionais que fazem jus ao juramento, mas, infelizmente, sempre existe a ovelha negra que suja o nome da família, seja entre médicos, advogados ou outras áreas de atuação.
Conseguir um papel que te indique o que é saudável comer é muito fácil, basta digitar no Google e aparecerão várias opções. O que o Google não faz é elaborar uma dieta a partir do saber do outro, considerando os aspectos biológicos, econômicos e socioculturais. Isto cabe ao profissional da nutrição.

A interação nutricionista-paciente é um processo que exige uma compreensão antropológica. Como dizer que será necessário eliminar o churrasco da dieta de um gaúcho ou o acarajé de um baiano? Dividi cada prato referindo sua região característica para demonstrar que os hábitos alimentares vão além do sabor agradável de cada guloseima, mas, principalmente, do simbolismo que o constitui. 
Canesqui destaca que os adultos já socializados, dentro de certos padrões, vivem em uma situação conflituosa entre o comer aquilo que é apreciado em nossa cultura (feijoada, costela, linguiça, quindins, tortas, cervejas) e aquilo que é entendido como saudável.

Suprimir é tão complicado quanto inserir um modelo alimentar. Esta complexidade se agrava quando as questões passam pelo poder aquisitivo. Pessoas carentes tem de limitar, quantitativamente e qualitativamente, sua cesta em produtos classificados básicos. Como explicar a importância de certos alimentos ou quantas refeições diárias são necessárias quando não se tem recursos financeiros? A resposta a essas questões talvez nos leve ao entendimento de que nutricionistas parem de impor o predomínio da razão e se preocupem em entender cada pessoa como um homem singular, dentro de um processo social específico.

7 comentários:

Anônimo disse...

Belissimo arquivo, interessante muito bom!!parabéns.

Neyde.

Danillo Ferreira disse...

Brilhante artigo! As academias, em todos os setores, formam profissionais mecânicos, limitados às cobranças técnicas e sistemáticas do ramo em que atuarão. Considerar aspectos sócio-culturais do público a ser atendido, além de um diferencial no mercado, é uma contribuição para o bem estar das pessoas.

Gilberto disse...

Muito bom o artigo! Os profissionais pouco se preocupam com o outro, principalmente quando se fala de dinheiro. É fato pessoas deixarem de tomar seu remédio por falta do dinheiro. Infelizmente, esse é o mundo em que vivemos e os profissionais tem de se adequar a ele.

Daniela Sousa disse...

Neyde: Obrigada pela visita.

Danillo: Obrigada. É por formarem profissionais mecânicos que somos obrigados a ver tantos absurdos por aí.

Gilberto: Obrigada. O problema é que a comunidade carente é quem sofre com essa despreocupação de "profissionais".

Aline disse...

belíssimo.
Estive um pouco ocupada, mas estou de volta.
É muito bom saber q existe profissionais q procuram entender o paciente.

Tati disse...

Obrigada pela visita em meu blog!
Fiquei muito FELIZ!!!
Bom! O que dizer do seu blog?
Achei o maximo!
Vc esta de Parabéns!
Vou colocar um link no meu...depois passa la e veja...rsrsrsrsrs...
Que DEUS te abençoe!
Bom domingo!
Bjs!

Daniela Sousa disse...

Obrigada Tati, por tudo.
Seja muito bem vinda e volte sempre!!

Postar um comentário

Obrigado pela colaboração!